terça-feira, 6 de outubro de 2009

O CRIME DAS LARANJEIRAS

Brasil

À dias militantes do MST (Movimento dos Sem Terra; nome que eu acho irónico pois eles acham que qualquer nesga de terra em território brasileiro é deles) atacaram criminosamente um laranjal no Estado de São Paulo, ocupando a herdade e destruindo cerca de 7000 mil laranjeiras, derrubando-as com um tractor. 

Alegação para o atentado: "a intenção era desbravar terreno para cultivar feijão pois só de laranjas ninguém vive", afirmação de Claudete Pereira de Souza, coordenadora do movimento. Uma afirmação destas se não fosse grave até poderia parecer anedótica.

O Brasil está entre os maiores produtores de feijão e laranja do mundo, sendo o maior exportador mundial de concentrado de laranja para sumos e refrigerantes. Qualquer atentado a uma empresa dessa magnitude nacional e internacional seria entendido como um crime. Mas isso num país... enfim, cala-te boca! 

No Brasil as entidades oficiais (cobardes ou corruptamente permissivas) afirmam tratar-se duma acção de manifestação social, logo não passível de incriminação, nem julgamento.
E o respeito pela propriedade alheia de interesse colectivo? E o respeito pelo trabalho e pela vida? E a barbárie de motivação duvidosa?

E afirmam estes MST serem defensores duma Reforma Agrária. Reforma Agrária, por parte de quem não tem a mínima consciência, nem respeito pelo acto agrícola?!

2 comentários:

Serginho Tavares disse...

enquanto isso os donos deste movimento, que nem deveria se chamar de movimento e sim de formação de quadrilha, estão muito bem escondidos sem mostrarem sua verdadeira face deixando o trabalho sujo pra estes imbecis!

e é este país que quer sediar uma olimpíada? é isso que eles querem mostrar ao mundo?

Leandro disse...

Eis aí um daqueles assuntos que poucos querem mencionar.
A atitude foi das mais abusivas, e ainda tem como coordenadora uma mulher como Claudete. Analizem a atitude e as palavras dela, e me digam: Que liderança tem esse movimento?