sexta-feira, 11 de novembro de 2016

BASKET OF DEPLORABLES


É necessário repensar a democracia. Nos moldes actuais ela apenas serve o populismo oportunista, sem compromisso nenhum com os destinos das respectivas nações, motivado por projectos pessoais, mais ou menos partidários, de conquista e preservação no poder. O avanço do populismo advém da falta de informação, formação e educação das populações que são convidadas e algumas vezes forçadas (voto obrigatório) a ir votar.
O fenómeno Trump não é isolado, nem é tão imprevisto e surpreendente como por aí se pretende fazer crer. A própria imprensa que tanto se espanta com os “casos Trump” é ela mesma cúmplice de tais fenómenos ao promover uma informação sensacionalista, mais interessada no aumento dos índices de audiência que na prestação duma verdadeira e profícua informação; o que conta é o espectáculo da notícia e não o mérito e interesse da informação propagada.

A política deixou de ser um campo de debate de ideias e ideologias para se tornar uma arena onde se digladiam campanhas de propaganda na mais feroz competitividade dum marketing sem escrúpulos. Nas presentes campanhas eleitorais, amiúde por toda a parte, não se debate nenhum projecto político, apenas se esgrimam ataques e ofensas mais ou menos pessoais. As ideologias estão démodé e desactualizadas porque desfasadas da realidade social e civilizacional vigente. Não que novas ideologias sejam necessárias, mas o que urge são princípios fundamentais que se apliquem a uma justa administração e gestão dos reais interesses das sociedades e nações.

Nota: a imagem foi recolhida na internet através do Google

sábado, 5 de novembro de 2016

LUCRO E NÃO-JUSTIÇA

Como diz a sua própria propaganda a Samarco fez e de que maneira... E continua fazendo e preparando as condições para mais outra catástrofe como a que ocorreu há um ano. E outra e outra... Um ano depois e as vítimas da incúria criminosa esperam justiça. Cerca de 50 multas, num valor aproximado de 300 milhões, já lhe foram aplicadas e nenhuma pagou e nem irá pagar pois de todas recorreu e continuará a recorrer. Assim funciona uma justiça feita pelos ricos e poderosos para se protegerem e livrarem de pagar pelos seus crimes.


 


Nota: imagens recolhidas da internet através do Google





quarta-feira, 2 de novembro de 2016

7%

7% da população carcerária do Brasil está detida por furto. Entretanto quem rouba milhões e comete grandes crimes anda solto.
Roubas uma galinha para matar a fome e vais comer e dormir com patifes e criminosos de toda a espécie, mas se desviares milhões do erário público e com o lucro do desvio pagares fianças e recursos, ficas em liberdade. É mais que tempo de se dar fim a este sistema viciado e decrépito se se quiser construir uma sociedade justa e de direito.
O sistema carcerário brasileiro está superlotado e em permanente caos administrativo e disciplinar.

Nota: imagens recolhidas da internet através do Google 

sábado, 29 de outubro de 2016

AURICA

Segundo os cientistas João Duarte, Filipe Rosas e Wouter Schellart (dois portugueses e um australiano), daqui por 300 milhões de anos a Terra voltará a ter um único super-continente: Aurica. Uma teoria inspirada na observação do comportamento das zonas de subducção e baseada em evidências de história geológica, cálculos matemáticos e modelos computacionais. Com o deslocamento das placas tectónicas os oceanos Pacífico e Atlântico fechar-se-ão, a Eurásia dividir-se-á em duas: uma parte rumando a este e a outra rumando a oeste. A Austrália juntar-se-á com a América (daí o nome Aurica).
Nem quero imaginar como será o clima nessa altura.




Nota: imagens recolhidas da internet através do Google

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

STATUS QUO

O estatuto do índio no Brasil em nada mudou durante toda a história brasileira; continuam párias na sua própria terra.


Nota: imagem recolhida na internet através o Google.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

domingo, 23 de outubro de 2016

ENGRENAGEM


O nosso mundo é uma engrenagem de consumo. Tudo na nossa presente civilização gira em torno do binário produção/consumo. Criam a ideia duma sociedade pró-hedonista mas tal não passa duma imensa falácia. Somos moldados e formados para encaixarmos num lugar da cadeia produtiva como escravos domesticados. Progressivamente perdemos o livre-arbítrio e a vontade-própria. É-nos negada a auto-determinação e o nosso querer tem de corresponder ao estipulado na lei e nas regras do jogo da grande-empresa em que se tornou o mundo. 
Fomos absorvidos pelo grande sistema-económico, que a todos devora e trucida desde a mais tenra idade. A auto-expressão é negada. O que se vê por aí são comportamentos de macaco-de-imitação a que se convencionou chamar de moda, ou mais elitistamente de “fashion”. Contribuindo esses comportamentos padronizados para aumentar os índices de produção/consumo e dando prosseguimento à alienação continuada das gentes que se iludem achando ser felicidade o que não passa dum mero prazer supérfluo e momentâneo.



Nota: Imagens recolhidas na internet com o Google