domingo, 12 de junho de 2011

NOSTALGIA (LISBOA I)

Um dos catamarãs que ligam Lisboa (onde eu trabalhava) e Barreiro (onde eu vivia). Todos os dias eu viajava nesses barcos nas minhas deslocações de e para o trabalho.


Arcadas do Terreiro do Paço. Óptimo refúgio para quem foge da chuva fria no Inverno, ou o sol escaldante do Verão.


Ostentando o orgulho da mestria na arte do azulejo, herdade dos nossos pais árabes.


Edifício sede da Câmara Municipal de Lisboa, na Praça do Município, com o pelourinho em frente.


Sede do Banco Totta na Rua do Ouro. Uma nota arquitectónica extravagante no meio da sobriedade imposta da arquitectura pombalina da Baixa de Lisboa.


Rua de Stª Justa. Ao fundo o Elevador do mesmo nome, que muitos acreditam erroneamente ser da autoria de Gustave Eiffel. O projecto, da autoria do engenheiro Raoul Mesnier du Ponsard, em estilo neo-gótico, cuja construção foi iniciada em 1898, foi inaugurado em 1902.


Arco da Bandeira, que liga o Rossio à Rua dos Sapateiros.


Rossio, ou Praça D. Pedro IV (que foi também D. Pedro I, do Brasil).Ao alto as ruínas do Convento do Carmo, testemunho do Grande Terramoto de 1755.


Estação Ferroviária do Rossio, em estilo neo-manuelino, inaugurada em 1890. As plataformas de embarque situam-se no último piso (o mais elevado) da estação, onde desemboca o túnel de via-dupla, com 2613 metros, por onde circulam as composições que chegam e partem.


Edifício Éden, na Praça dos Restauradores. Inaugurado em 1937 como cine-teatro, foi na década de 1990 remodelado para funcionar como apart-hotel.


Edifício do antigo cinema Condes e onde hoje funciona o Hard-Rock Café de Lisboa. Também na Praça dos Restauradores, do lado oposto ao Cinema Éden.


Palácio Foz (originalmente dos Marqueses de Castelo Melhor), do século XVIII, na Praça dos Restauradores.

Nota: As fotos foram tiradas num domingo de manhã, para fugir das multidões e do stress. A cidade ainda parece entorpecida pelo sono e pelo espanto da ausência da trepidante vida urbana. Neste bloco mostro apenas alguns pormenores dos locais por onde passava diariamente a caminho do meu trabalho.

9 comentários:

Beth/Lilás disse...

Amigo ManDrag!
Estou de volta das férias e vim lhe visitar atraída pela chamada do post - Lisboa terra adorável, que saudade!
Passeei por estes belos lugares e me emocionei lembrando de alguns deles, como este belo pórtico de passagem o Arco da Bandeira, acho tão romântico.
beijinhos cariocas

Wanderley Elian Lima disse...

Adorei Lisboa, com suas belezas e mistérios. Parabéns a todos os portugueses pela bela capital.
Bjão

Mari disse...

Meu sonho um dia é ir até lá... É linda! Bela maneira de matar as saudades da terrinha. Adorei o passeio virtual!

Serginho Tavares disse...

ah, que meu marido é um fotógrafo maravilhoso!
amei cada uma das fotos!

vontade de estar em todos estes lugares

beijos
amo te

Hürrem disse...

Amigo ManDrag, que post MARAVILHOSO!!E as fotos nem preciso comentar muito, pois estão divinas, e retratam não somente os lugares mas o estado de espírito das coisas.Parabéns!!! Abraço fraterno

Lobo disse...

A calma e tranquilidade sempre torna as fotos melhores. Na verdade, a calma e a tranquilidade tornam qualquer coisa melhor, muvuca é uma droga XD.

Belas fotos.

Um beijo!

Beth/Lilás disse...

Como vai, amigo?
Está tudo bem contigo?
Espero que sim e aproveite este final de semana ensolarado e lindo.
beijos cariocas

Marisol disse...

Amigo
Que eternidade separa esta visita das outras, que sempre fiz com curiosidade e muito interesse! Lisboa a cidade das sete colinas que é linda, brilha vaidosa mas onde há tanto para reconstruir. Pena que os Lisboetas não a amem como ela merece... o lixo assim como os rabiscos murais empobrecem esta maravilhosa cidade.Abraço

Glorinha L de Lion disse...

Que lindas fotos...levaram-me de volta a Lisboa por alguns momentos....que saudade senti, que vontade de lá voltar...um dia, voltarei, tenho certeza. Obrigada pelo momento de nostalgia delicada....beijos,