quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

O POETA

Sim, sou o poeta! E daí?

Sou aquele que dá voz aos vossos corações espezinhados e ignorados. Sou aquele que encarna e chora as vossas lágrimas de frustração. Sou aquele que suporta a vossa dor, para que vós possais dar continuidade à vossa existência ignóbil e atrofiada. Sou aquele que dá forma aos vossos sonhos e devaneios, suportando toda a violência de ser desprezado e perseguido. Sou aquele a quem é negado o direito de identidade, porque vós temeis a diferença e o diferente. E assim me privam de uma existência digna.

Tudo isto vos convém e vos favorece, mas ainda exigis que eu faça do vosso jeito e do vosso modo, que também me pareça convosco, para que não tenhais de me sustentar...

Julgais que sou vosso escravo???

2 comentários:

Serginho Tavares disse...

O período de escravidão já acabou mas parece que muita gente anda esquecida disto

Mais um soberbo texto como sempre
Adoro te
Amo te

beijos

Leandro disse...

Nos favorece a tua liberdade de expressão.