domingo, 29 de abril de 2012

O ESTUPRO, O ESTUPRADOR E A VÍTIMA

Silvino Baptista Preto


Eu não tenho que pedir desculpa por estar vivo!


Eu, em criança, fui estuprado. Mesmo com consentimento, eu fui estuprado.
Fui seduzido, Fui provocado. Fui assediado. Fui forçado; mesmo que gentilmente, mas fui forçado. E fui admoestado a manter segredo por uma prática que eu sabia bem ser socialmente condenada e cujo conhecimento geral traria muito constrangimento para ambos. Em criança eu tive que conviver com um segredo atroz, que me atormentava, mas que a ninguém podia revelar em busca de amparo e apoio.


Aos 10 anos de idade, meus pais deixaram-me noutro continente, longe deles e das minhas irmãs, longe da nossa casa, do nosso lar. Deixaram-me ao encargo desse homem (na foto), que eles elegeram como meu tutor. Ele seria o meu guardião, o meu mentor, o meu protector... enfim seria o meu pai, desde então. Seria a pessoa em que eu deveria confiar e respeitar.


Mas ao invés disso ele se aproveitou da minha vulnerabilidade e isolamento, para me violentar; mesmo que gentilmente, através da sedução e persuasão, ele me violentava, cada vez que me estuprava. E isso durou anos. Toda a minha adolescência!
Para que tal perdurasse ele me impunha um regime de secretismo, que me levou - devido à minha tenra idade e à falta de apoio, por ter sido deixado desamparado pelos meus pais -  à associação traumática e cruel de sexo com dor, vergonha e culpa.
Assim ele castrou o meu prazer, a minha felicidade e a minha paz interior. Ele castrou-me forçando-me ao constrangimento, à dor física - e moral - e ao silêncio.


Ele me encarcerou, até hoje, numa masmorra de expiação duma culpa que não é minha, dum crime que ele cometeu sobre a minha pessoa, a minha dignidade e a minha integridade. Uma culpa que é e sempre foi, apenas dele. Um crime da qual eu fui vítima e não cúmplice!


Eu fui a vítima e não ele! Eu sou quem merece remissão e não ele! Eu que quase perdi a minha vida para a dor e o sofrimento permanentes e não ele.
Eu é que mereço perdão! 
Eu mereço viver livre e feliz! Eu mereço viver com honra , dignidade e orgulho!
Eu mereço ser Eu!
Eu mereço ser completo e viver completo! Eu mereço ser amado e dar amor! Eu mereço ser um homem completo!


Eu não tenho que pedir desculpa por viver! Eu tenho que me orgulhar de ter sobrevivido e lutado por mim, pela minha integridade, pela minha felicidade! Eu me orgulho de ter sabido viver com honra!


Eu orgulho-me de ser Eu!


Eu sou um homem completo!


Nota: Para esclarecer alguns comentadores e quem possa ficar na dúvida, este relato é verdadeiro e foi a minha vida.



11 comentários:

Speedy the Turtle disse...

doi ler as tuas palavras. Não imagino sequer a dor que deves sentir, desde tenra idade. Resta-me deixar um abraço e esperar que, em algum tempo, a dor se atenue.

Raphael Martins disse...

ManDrag, isso aconteceu de verdade ou é um conto fictício?

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

amigo! isto é fato ou conto? #tenso

Alexandre Lucas disse...

Assunto espinhoso, tanto para a sociedade e parentes próximos, normalmente omissos, quanto para a verdadeira vítima, o(a) menor.

Juan Heféstion disse...

Fiquei arrepiado com seu relato, e me pus a pensar neste momento o mesmo pode estar acontecendo com alguém por ai. Que mundo sujo.

Serginho Tavares disse...

Você tem mesmo que se orgulhar do homem que és hoje. Um homem lindo, justo e digno.
Eu te amo.

Cores da Crise de meia idade! disse...

És mais forte do que sequer imaginas, bom amigo!

São disse...

Amigo e Irmão, claro que a culpa foi do adulto. Aliás, é sempre do adulto nestes crimes.

Os pedófilos argumentam que os jogos sexuais são começados pela criança que acaba violada e violentada.É mentira total e , ainda que fosse verdade, cabe ao adulto fazer sentir à criança que aquele comportamento não é o adequado.

Estranho que tendo tu afirmado a veracidade da narrativa , te perguntem se é ficção!!

Tens toda a razão para te orgulhares de ti e eu sinto-me honrada por fazeres parte da minha vida há largas décadas !

Um abraço estreito e longo, com todo o amor.

Junnior disse...

Man, acho que ter exorcizado um pouco esse demônio dos pensamentos te fará melhor. Entretanto, se ainda resta culpa pelo ocorrido, tire toda ela. Claro que o sujeito, se ainda vive, é o merecedor de uma consciência pesada e culposa. Vc, ao contrário, deve ter orgulho de ter sobrevivido a isso e se tornado a pessoa que é hoje. Não sei se estou escrevendo obviedades, mas o caminho é este mesmo.
Bjaum, querido.

William Oliveira disse...

Oi, eu não te conheço muito...
sempre te achei um lutador, pelo pouco que conheço e li... quase nao venho aqui.. quase nao enho em Blogs nem dos amigos...

Mas hoje vim e li uma parte da sua história...

eu vou te dizer que é bela a sua postura do Homem Completo! Isto mesmo! Vc a merece, todos merecemos...

Mas quando liberar perdão ecompreenssão, por mais incompreenssível que seja... a dor vai passar... me perdoe se estou sendo invasivo.

Muita luz para ambos. Muito perdão para mabos.
E que sua Vida seja repleta de Abundância Feliz!

Hürrem disse...

Querido amigo não publiques esse comentário, não quero ser invasiva de tua privacidade, mas lembro tempos atrás um post teu comentando de tua infância, onde vc dizia que seduzia o teu tutor por vontade própria...agora li esse texto e fiquei confusa, creio que a terapia que vc está fazendo está te ajudando a exorcizar as culpas e os medos. Acho excelente, e te dou os parabéns por essa vitória! Um abraço fraterno.