domingo, 8 de maio de 2011

EU, O ANJINHO

Eu tinha 11 anos e mantinha assíduas relações sexuais, de coito completo, com o meu tutor. E querem saber mais?! Fui eu quem sempre o seduziu! Depois da insistência no assédio e de todos os tipos de estratagemas e chantagens ele acabou por ceder e permitir que satisfizéssemos as nossas mais básicas e naturais necessidades de prazer e proximidade afectiva.

Sim, eu era bem jovem, mas perfeitamente ciente do que estava fazendo. Nem ele precisaria de me aconselhar o mais absoluto segredo, pois a minha maior preocupação era se ele manteria o mesmo segredo. O facto da tenra idade era irrelevante para a consciência sexual que eu teria, pois já muito antes (bem mais novo ainda) eu vinha mantendo jogos eróticos com todo o tipo de parceiro que se dispusesse a aventurar-se por campos que a paternalista e machista sociedade vigente e soberana, condenava ferozmente.

Não promovo, não apoio, não fomento a pedofilia. Mas nunca condenarei o meu tutor (nem a sua memória), nem outros que me tenham reconhecido como um ser humano inteligente com desejos e paixões.

Nota dedicatória: ao meu amigo Jr, em solidariedade.

Aviso: reservo-me o direito de não publicar os comentários que eu entender serem moralistas ou ofensivos ao meu modo de pensar e entender o mundo e a vida.


10 comentários:

Serginho Tavares disse...

Não acho que o seu caso fosse pedofilia, muito pelo contrário.
Mas é difícil neste mundo que vivemos tentar falar sobre este assunto, é uma pena, eu mesmo tentei uma vez, mas as pessoas são muito ignorantes!

Junnior disse...

Man, você é mesmo um cara autêntico! Essa postagem, além de corajosa, é uma das mais desmascaradas que já vi. Merecia ser narrada em livro. Bjus querido.

Cores da Crise de meia idade! disse...

Sexualidade infanto juvenil é muito complexa para ser julgada sem um contexto maior. Pedofilia seria se você não estivesse de acordo com o que aconteceu. A falta de leitura sobre a história da sexualidade pode tornar esse post um alvo de críticas, mas definitivamente não vai ser o meu caso!
Bjs

Paulo Braccini disse...

Parabéns ... quem de alguma forma não vivenciou este tipo de relação ... e sempre fomos nós q seduzimos ... Pedofilia é outra coisa que os imbecis atuais adoram pregar, dentro da mais sagrada hipocrisia ...

Lobo disse...

Nossa, que precoce XD.

Nessa época acho que eu nem sequer pensava nessas coisas ainda.

Beth/Lilás disse...

Hummmmm, o assunto é delicado e a idade mais ainda.
Enfim, cada um sabe de si e de suas escolhas.
bjs cariocas

Mari disse...

Tenho noção de que vc fora um "menino-homem", e estava à frente do seu tempo. Mas não deixa de ter sido precoce. Acredito que por obra do destino e sentimentos íntimos mútuos,enfim, por uma combinação de fatores, você guarda boas memórias da sua experiência.
Mas,com modéstia e sua licença, quero dizer que acredito que seja pouca a idade. (Ao menos para os meninos desse século, na maior parte das culturas).

Sei que nas tribos indígenas a relação sexual é bem precoce, mas nesse tipo de cultura ao alcançar a puberdade as pessoas já obtém grandes responsabilidades para com a tribo, inclusive de trabalho e desenvolvimento naquele meio social. Já no "nosso mundo" a maioria das crianças ainda não tem a mesma noção de responsabilidade...É delicado julgar cada caso, mas de maneira geral penso assim, é preciso esperar até que se alcance consciência das responsabilidades que um ato sexual ou um relacionamento amoroso traz na vida das duas pessoas.

Speedy disse...

é delicado e respeito o facto de teres assumido esse aspecto da tua vida. Mas, embora tu estivesses consciente do que estavas a fazer (e que a sedução partisse de ti) preferia pensar que o adulto optasse por não se aproximar de ti. Percebes o que quero dizer?

Aceita um abraço

Leika Horii disse...

Ai que liiindo!!!

Hürrem disse...

Olá amigo ManDrag,
Já tem dias que ando refletindo a respeito desse teu post confissão..muitas vezes pensei em não escrever..no entanto, penso que posso correr o risco de vc não publicar meu comentário, já que o mesmo discordará da tua opinião...mas vou arriscar porque creio que todos que tem um blog como diz o ditado "estão na chuva para se molhar", ou seja, nem todas as pessoas concordarão com nosso ponto de vista e temos que ter a mente aberta para isto, de outra forma não seria interessante recebermos os comentários, já que todos sempre concordariam.Penso que as idéias contrárias também nos fazem crescer enquanto seres humanos (desde que lógicamente o respeito seja mantido como premissa). Sendo assim, para mim as pessoas, os seres humanos, são muito mais do que suas opções sexuais (que considero secundária)..as pessoas são um sopro de vida, com alma e com experiências e vivências que fazem delas seres únicos no mundo. Baseado nisso, devemos ser claros e objetivos com certos conceitos. A meu ver o significado da palavra pedofilia ( nos dicionários de todas as línguas no mundo)significa a prática de fazer sexo com crianças...as pessoas podem querer dizer o contrário, que a criança poderá saber o que faz já em tão tenra idade...mas o fato é que isso não é verdade, a criança poderá ter a ilusão de que sabe e é dona de si, mas a maturidade que só um adulto tem ela nunca terá sendo ainda criança, nem que seja uma criança prodigio.Então meu amigo, respeito muito quando vc diz que era uma criança já consciente e sabia o que queria, mas concordo com o colega Speedy quando ele diz que o adulto deveria ter evitado, o adulto tem a obrigação de não se deixar levar e de não praticar a pedofilia. Que vc já de criança tenha sabido qual seria tua orientaçao tudo bem, mas não concordo que o adulto, responsável por ti, devesse ser participante dessa situação. Bom, espero que não fiques chateado comigo por minha opinião ser discordante e até moralista pra ti, mas creio que o discordar também faz parte da amizade. Um abraço respeitoso e fraterno.