quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

LEMINGUES


O mito de que os lemingues se juntam em enormes bandos e se atiram ao mar para acabar morrendo afogados, não passa disso mesmo; um mito.
Tal é utilizado como imagética para definir o comportamento de rebanho que as multidões apresentam, assim como aqueles que seguem a maioria sem opção própria.

Lemmings, dos Van der Graaf Generator, é uma das minhas canções favoritas. Poeta visionário, Peter Hammill canta neste angustiado poema o desespero daqueles que percebem que têm voz própria, num mundo em que todos tendem a seguir a turba cega e alienada. Aqueles que percebem que é possível construir um futuro, sem que este tenha de ser uma fatalidade consentida.
A canção foi publicada no álbum "Pawn Hearts" de 1971.

Nota: No vídeo junto é possível acompanhar a letra ao longo do tema (em tempo real, como agora fica chique dizer).


7 comentários:

BlueShell disse...

Oh...pensei que te tinha "perdido"!
T achei...
E...olha..é de fato angustiante ...e isso nota-se perfeitamente no "video"!
E sabes que mais? EU SINTO ISSO; POR VEZES!!!!
Dá-me uma raiva...

Te abraço, solidária!

Junnior disse...

Ter voz própria nesse mundo e construir um futuro digno é pra poucos mesmo.
Bom dia proc, queridão!

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Ter voz própria nesse mundo e construir um futuro digno é pra poucos mesmo. [2]

São disse...

Meu lindo, há tanto tempo que não ouvia Peter!

E a angústia de (se) ser diferente continua igual...

Convido-te a passares pelo Retales Visuales e a comentares Chuva sobre a Paisagem.

Um apertado abraço com votos de felzi Dia de Reis, meu amigo

Lobo disse...

Dá até pra considerar herói quem consegue se libertar do comportamento de manada.

Magia da Inês disse...

°º♫
°º✿ Olá!!!
º° ✿♥ ♫° ·.
Gostei do post!
Bom domingo!
Beijinhos.
Brasil°º♫
°º✿
º° ✿♥ ♫° ·.

lolipop disse...

Hoje, por razões diferentes, ambos festejamos dois "grandes". A julgar pela quantidade de reedições que saíram em caixas de luxo este Natal, o retro está na moda...talvez porque abunda a mediocridade de forma geral
Muito bom!

Abraço grande