terça-feira, 19 de outubro de 2010

ENTREVISTA


São, minha querida Amiga, sabes que não gosto destas correntes internéticas, mas tomei este teu desafio como se duma entrevista que me estivesses fazendo se tratasse. Obviamente que algumas das questões não irias pôr, por serem tolas e a tua mente estar mais voltada e vocacionada para assuntos mais proveitosos, mas mesmo assim não quis censurar nenhuma delas e dispus-me a responder a todas. Posso dizer que foi divertido.

Para ficar em concordância com o que acima disse não irei acrescentar nenhuma questão, como a ti foi proposto.

(As fotos são do meu quarto em Portugal. Mostram a parede que ficava à minha frente quando eu me sentava no computador escrevendo. O meu mundo.)

1) A relação com tua sogra é boa?

Embora isso só me diga respeito a mim, posso dizer que navio que se faz ao mar pode contar com calmaria e tempestade.

O estereotipo de que a relação com a sogra tem de ser uma coisa complicada (boa ou má), não passa de mais um preconceito entre os muitos que a nossa sociedade machista e misógina criou para se defender de si própria e dos seus medos.

2) Qual o teu desafio pessoal?

Auto-conhecimento.

É difícil definir um desafio pessoal para cada um de nós, pois todos temos vários desafios. O único desafio que é geral e inconsciente (para todo e qualquer ser humano) é o desafio de crescer em consciência e humanidade.

3) Se a tua chefe ganhasse a lotaria, que lhe dirias?

“Parabéns!”

O mais que lhe pudesse dizer dependeria de quem ela fosse (como ser humano) e do que na circunstância ela me dissesse a mim. Mas é óbvio que gostaria muito de lhe responder: “Obrigado por teres compartilhado metade do prémio comigo!”

4) Descobres que uma pessoa te mente. Que fazes?

Como sempre (porque tal não seria a primeira vez) continuaria com a minha vida. Apenas não voltaria a confiar espontaneamente nessa pessoa.

A mentira é muito comum no nosso quotidiano. Todos sabemos disso e fingimos que assim não é. Mas há diferentes tipos e graus de mentira. Na minha resposta generalizei, mas numa situação concreta iria analisar o grau e propósito da mentira em questão para depois proceder conforme.

5) Há um incêndio em tua casa e só podes salvar uma coisa. Qual é? E porquê?

Salvaria a foto da Leila ( a dálmata que tratei durante 12 anos). Porque foi a única criatura que me amou incondicionalmente em toda a minha vida.

Mas como ando sempre com o meu macbook agarrado a mim é óbvio que ele iria também. Afinal nele está tudo aquilo que preciso para manter alguma sanidade e tranquilidade na minha vida.

6) Entras num lugar apinhado. Que fazes?

Nem chegarei a entrar, fujo de imediato.

Fico em stress de pânico perante outro ser humano, que aumenta proporcionalmente com o número de pessoas presentes.

7) Para ti, o recipiente está meio vazio ou meio cheio? Porquê?

Meio cheio, pois nenhum recipiente foi criado cheio.

8) Encontras a Lâmpada de Aladino, quais são os teus três desejos?

Poderia muito bem dar aqui a habitual e auto-promotora resposta do bom santinho “paz e amor para o mundo” mas o Aladino iria rir na minha cara e dizer que eu tinha perdido a oportunidade com baboseiras.

Pessoais: um ipod (para poder ouvir a minha música em todo o lado), um ipad (para poder levar comigo os meus livros e fotos e poder deles desfrutar em qualquer circunstância, em qualquer lugar) e dinheiro para poder levar o resto da vida a viajar pelo mundo inteiro, sem restrições.

Universais: tudo o que eu pudesse desejar implicaria com o amadurecimento da consciência humana e a tomada de consciência pela humanidade da necessidade duma postura ética e digna em TUDO e em TODOS os seus actos. Ora isso seria impraticável pelo que defino esta como uma pergunta despropositada, logo tola.

9) Porque criaste um blogue?

Segui a sugestão de um amigo (já não lembro quem, talvez tenham sido vários; mas quem sempre me instigou a entrar para o universo da internet foi o Tó Rosado) que me indicou esta como uma das maneiras de transmitir o resultado da minha criatividade. Continuo a acreditar que é uma óptima oportunidade de dar a conhecer a minha escrita e o meu pensamento.

10) Como te chamarias se fosses dinossauro?

Mas eu sou um dinossauro! E felizmente não me deram o nome da criatura que inventou esta pergunta idiota.

Sei bem que nunca irias pôr esta questão São, mas estavas sujeita ao questionário que já a ti foi imposto...

11) Mudavas alguma coisa no teu passado?

Mesmo que pudesse não o faria, pois não estaria aqui e agora. Se falhei foi porque o que aprendi não estava correcto. Noutro caso teria de repetir tudo de novo.

12) Qual o teu sonho?

Lokmar.

O meu sonho é conseguir recuperar as condições físicas (materiais) e psicológicas para conseguir reatar o desenvolvimento da explanação do universo de Lokmar e terminar o relato da História de Lokmar.

13) Algo que te envergonhe teres feito?

Ter, uma vez, respondido grosseiramente a ti, São. Nunca me perdoarei a mim próprio.

Muito estúpido deixar-nos levar pelo orgulho e responder com injustiça alarve a um gesto de gentileza e amizade.

14) Qual o animal que escolherias ser?

O Dragão que já sou.

Dos vários espíritos-guia que nos é dado ter, todos os meus são Dragões. Pormenores não dou em público.

15) O que nunca farias por dinheiro?

Tudo aquilo que a minha consciência dissesse que estava errado e que o meu acanhamento não permitisse. Já deixei de me obrigar a sujeitar a desconfortos que muito me prejudicam em termos de saúde (psicológica que acabam por serem somatizados em mau-estar físico) para alcançar seja o que for.

16) O que te tira do sério?

Mesquinhez.

Não suporto a ideia de alguém disposto a se safar sempre, sem escrúpulos e disposto a espezinhar tudo e todos que lhe apareçam pelo caminho.

17) Qual o teu maior orgulho pessoal?

Acreditar que ainda mantenho alguma clareza de espírito e o respeito e carinho que os meus amigos me dedicam.

Obviamente que me orgulho dos cumprimentos que recebo pelos meus trabalhos e acções.

18) Amarias que homem?

Já amo. Vários homens... e mulheres.

Não há ninguém perfeito! Essa história do príncipe ou princesa encantados não passa duma balela infantil que apenas os tolos acreditam. Se a pergunta traz implícita a suposição que seria para casar, eu ainda acredito que o casamento deve ser um acordo de interesses que terá pouco a ver com amor.

19) Com quem gostarias de te parecer?

Comigo.

Como já referi não há príncipes perfeitos e princesas perfeitas, pelo que posso apreciar algumas qualidades de uma e outra pessoa, mas não no seu todo. Cada um tem a vida que merece (sem sentido pejorativo). E a mim já me basta a minha! Não invejo os dissabores de ninguém.

20) O que mais prezas na vida?

Reconhecimento. Pois reconhecimento é admiração, respeito e dignidade.

21) O que significa amizade para ti?

É-me difícil distinguir amizade, amor e familiaridade. Todas as definições de emoções são tolas porque incompletas.

Tenho amigos que amo mais que parentes e parentes que não lhes dedico o mesmo amor que a certos amigos. Como afirma o ditado popular: a família é-nos imposta os amigos escolhemos nós e eles escolhem-nos.

22) Preferes a verdade ou a mentira piedosa?

Uma ou outra, usadas meticulosamente no momento exacto.

Uma vez escrevi “nada santifiques, tudo é sagrado”. Ainda mantenho a mesma opinião. Não devemos generalizar nem julgar no absoluto. A verdade absoluta não existe! A física já demonstrou isso, que os Sábios de outrora sabiam muito bem, sem necessitarem de enormes aceleradores de partículas. Em tudo na vida devemos proceder com prudência e sabedoria.

Não pretendo, nem nunca pretendi, ser o paradigma das virtudes humanas.

9 comentários:

Serginho Tavares disse...

Ainda acho que se fosses um dinossauro seria o ManDragossauro!
Adorei o questionário/entrevista

Amo te

São disse...

Obrigada por teres respondido.

Sim, algumas perguntas , não as teria colocado.

Porque será que é mais difícil perdoar-mo-nos do que perdoar os outros?

Um abraço, meu bem.

Beth/Lilás disse...

Ai, que eu adorei ler por aqui este questionário!
Não sou afeita a estes memes ou questionários pelos blogs, mesmo porque já falo muito sobre o que sou e o que penso, mas gosto quando leio sobre alguém que conheço ainda pouco.
E suas colocações são brilhantes e muito honestas.
abraço carioca

Glorinha L de Lion disse...

Olá amigo, eu sou como a Beth, não espondo mais a memes e nem pego selinhos, agradeço, mas não os pego. Mas achei interessante esse questionário. Vc e o Alexandre do Lost in Japan, respoderam às perguntas como muita verdade e inteligência, e inteligência, sempre me cativa. Parabéns homem de Lokmar, tenho certeza, que um dia, voltarás para lá. Beijos.

Hürrem disse...

Amigo ManDrag,

Assim como vc não aprecio muito essas correntes-questionários, mas confesso que ver vc respondendo a um simples e rotineiro questionário, só me confirmou uma coisa: a certeza de que as pessoas verdadeiramente cultas podem participar das coisas que os simples mortais fazem sem ser ordinário ou vulgar. Adorei as tuas respostas, sempre muito criativas e bem humoradas, mas me emocionei quando te foi perguntado o que salvarias de um incêndio e vc disse a foto da Leila...antes de ler a tua resposta eu pensei automaticamente, salvaria as minhas fotos, eu sempre penso nisso, das fotos como a coisa mais importante, e nelas logicamente estão as fotos do meu amado Lois..
Um abraço com amizade
PS: Estou te devendo os comentários sobre o texto que me mandaste, mas o farei em breve, com certeza.

Hürrem disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Oyafuso disse...

Só eu acho divertido esses questionários? rs

Claro que, como disseram, gosto quando não tem nada de vulgar... gosto das perguntas cultas e das toscas também. haha

Adorei o pôster do Gandalf!

Leandro Cordeiro disse...

Intenso.

Vindo de ti, não poderia ser diferente. A forma como você se colocou diante de cada questão...

Sem palavras!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

gostei muito do seu post. se no meu acabei meio que "escrachando", puxando pelo humor, o seu foi um auto retrato muito sincero e profundo.

as respostas não são diferentes do que imaginei que vc responderia. é a imagem que fiz de vc.

bom dia!