sábado, 22 de maio de 2010

CÂNTICO A UMA VOZ SÓ


A solidão não existe! Assim como a felicidade também não. O que existe é o isolamento, a segregação, o abandono.

Sentado no vazio do meu canto olho o mundo lá fora. E tudo está tão longe. Tudo se apresenta inanimado, sem fulgor, sem interesse.

Sou um, sou dois, somos muitos, num mundo que não foi feito por nós nem para nós.

Eu quero viver. Quero sair lá fora e encontrar sorrisos e paz. Mas como, se a guerra começa em mim?

Eu quero construir um dia de Sol. Quero uma chuva revitalizadora molhando a cidade e os jardins. Quero escutar uma canção de alegria. E dançar ao vento.

Eu quero plantar uma flor e vê-la florir no teu sorriso. Muitas flores. Prados delas.

Quero ter asas e voar por aí. Quero viver livre! Lá fora, no mundo!



4 comentários:

São disse...

E, de qualquer modo, vives no mundo: quanto mais não seja no coração de quem te gosta.

Saudades abraçadas, Amigo!

Serginho Tavares disse...

O seu mundo é seu mundo e vives nele, mas se quiseres sai e ver outro mundo também poderás e serás feliz sempre por poder saber que entre tantos mundos terás onde viver sempre!
Quer seja voando ou não.

Amo te
Beijos

Clarice disse...

Mandrag, o ponto de vista define o mundo de cada um.
Aquele filme sugerido no meu bloguinho é uma comédia romântica, mas os diálogos, a direção e o ritmo são fantásticos.
Abraço.

Leandro Cordeiro disse...

Naturalmente belo! Adorei esse texto!


Abraços querido!