quarta-feira, 30 de junho de 2010

DIVAGANDO

Discute-se religiosidade e ateísmo, discute-se a existência de deus. Debate-se a inclusão ou não duma disciplina de religião e moral (cristãs) nos programas de ensino oficial. Mas que formação espiritual damos verdadeiramente aos nossos jovens?
Pretendemos debater o interesse da religião no ensino, mas será que ensinamos os nossos jovens a pensar? Por que não ensinamos princípios como espiritualidade, civismo, cidadania, aos jovens? Porque não ensinamos filosofia? Porque não ensinamos o que é a língua, como se forma e para que serve?
Quem pretendemos iludir quando impingimos dogmas e teoremas sem nenhuma relação óbvia com a experiência imediata da formação de cada um?
Como se pretende contribuir para um mundo melhor quando não se ensina a pensar e a ocupar o seu lugar no universo?
Os pais afirmam tentar dar o melhor para os seus filhos, mas ninguém pode dar aquilo que não tem. Não nos ensinaram a pensar e a reconhecer o nosso lugar na vida. Como fazê-lo aos outros?

3 comentários:

Mari disse...

Lembro que eu tive aulas de filosofia e sociologia no fim do meu colegial. Mas foram só pra constar...Eram matérias que não reprovavam, e por isso ninguém prestava atenção ou comparecia a aula. Achava as aulas de filosofia muito legal, mas como eu era tão jovem e tão boba, tinha vergonha- olha só!- vergonha de admitir que gostava, pq a maioria dos meus colegas não suportavam.

E pq será que filosofia,civismo, cidadania, não atrai tanto aos jovens? É algo de errado com eles ou com a nossa sociedade mesmo?

São mts problemas.É a falta de planejamentos para melhorar a formação,é a pouca valorização do professor/educador...

Serginho Tavares disse...

A melhor forma de fazer uma pessoa não pensar é ensinar-lhe que existe um deus e isto basta.
Religião sempre foi o grande ópio do homem!

Lindo texto como sempre meu amor
Amo te

Leandro Cordeiro disse...

A intenção, é NÃO deixar o moralismo morrer. A "ética" deve ser preservada!