quinta-feira, 1 de julho de 2010

JOVEM HOJE


Perguntaram-me sobre o que se passa com a juventude de hoje.

A juventude de hoje é tão estúpida como de qualquer outra época.

O desenvolvimento humano é cíclico, como muita coisa no universo. A adolescência é o terceiro ciclo de desenvolvimento do indivíduo enquanto ser orgânico e intelectual. O nosso organismo leva muito tempo a atingir o seu desenvolvimento físico completo e, quando o alcança logo começa a regredir. Só atingimos a plena maturidade das nossas capacidades depois dos 40 anos, até lá estamos em fase de expansão, por assim dizer.

Mas voltando à adolescência; o adolescente é uma criatura estúpida por definição. Tem a consciência duma batata frita (talvez daí a sua identificação com o fast food) e uma concepção de espaço-risco muito tangencial ao caótico. Trata-se duma questão electroquímica dum cérebro em fase crítica de formação e definição. A estabilização dos neurotransmissores cerebrais leva todo um ciclo de crescimento, terminando já depois da entrada na fase adulta.

O adolescente, ou jovem, está assim sujeito a todo tipo de influências e sugestões, pois a sua mente ávida de padrões é uma esponja que tudo absorve e rejeita. O universo mental juvenil é um caleidoscópio mágico que se desenvolve com uma fúria tempestuosa; maravilhoso!

Ora, o que se passa hoje é um criminoso ataque da ganância capitalista a esse mercado desregrado que é a avidez juvenil. Os agentes e cúmplices desse atentado são os pais, os órgãos oficiais regulamentadores e toda a sociedade em geral. Os jovens estão expostos a todo tipo de assédios mercantilistas, que lhes estimulam uma libido viciosamente consumista. E para sustentar tal dependência é necessário NÃO PENSAR.
Por isso desde a mais tenra idade todo o sistema formativo em torno da criança é estupidificante e néscio. Vamos formando burros para poderem satisfazer mais facilmente a voracidade ignóbil do sistema capitalista.

O capitalismo está mais criminoso que nunca e os seus cúmplices somos todos nós, que nos conformamos e resignamos (vendemo-nos!) em troca duns regalos consumistas.

O que se passa com os nossos jovens?! Simples... eles são as vítimas da nossa mais completa e irresponsável abstenção de sentido crítico!

2 comentários:

Serginho Tavares disse...

Os jovens de hoje leem bobagens, veem bobagens e compram bobagens! Infelizmnte não podemos mesmo culpá-los e sim a nós mesmos que deixamos que isto acontecesse...

Amo te. Mais um excelente e apropriado texto meu amor!

Mari disse...

Eiii Mandrag, já me sinto sua amiga, mesmo que nesse mundo virtual :)

Você tocou na questão central! Quando se ensina a não pensar, que futuros pais esses jovens de hoje serão amanhã, não é?

Já percebo que alguns avós de hoje tb, são influenciados por essa cultura do consumismo... pelo menos reparo isso nas cidades grandes do Brasil; eles são mais preocupados com a saúde, a aparência e têm medo das rugas e do descanso que a idade pede.

Cada vez mais eu vejo vovós siliconadas.Imagino que isso tem um lado bom, claro,a velhice não deve significar que a vida parou, mas isso não deixa de alimentar mais ainda o progresso desse sistema que vivemos.