sexta-feira, 2 de julho de 2010

FEUDALISMO E CAPITALISMO


O feudalismo era uma estrutura social em que a relação de poder assentava na posse da terra, sendo esta a base duma economia agrícola. Era da terra que vinha toda a produção necessária ao suporte da vida.

O pagamento com que os soberanos retribuíam os favores dos nobres era feito em doação de terra. Esgotada a disponibilidade de terra livre para doação, os reis começam a cunhar moeda como modo de pagamento à nobreza. É a subversão de todo o sistema económico e dá ensejo ao fortalecimento duma nova classe; o burguês. Elemento novo rico que acumula poder financeiro, embora sem as benesses dum título nobiliárquico. Surge então o capitalismo.

O capitalismo põe termo ao feudalismo no fim da Idade Média com o advento das classes burguesas. Desde então o poder passa a estar ligado ao dinheiro e não à posse de terra.

Capitalismo é a capacidade de gerir riqueza a partir da riqueza; o que significa que quem nada tem não pode enriquecer.

Na estrutura social do feudalismo não há espaço para o escravo. Já o capitalismo mercantil encaixa o escravo nas grandes unidades de produção de derivados agrícolas (açúcar, algodão, café, cacau, etc). Com a revolução industrial há a necessidade da abolição da escravatura, apenas porque o escravo não consome. Então o escravo é promovido a operário assalariado para se tornar um consumidor dos artigos que produz, contribuindo assim duplamente para o enriquecimento do burguês capitalista.

O feudalismo é uma estrutura social típica das sociedades do velho mundo. Quando se dá a expansão colonial no novo mundo, esta é liderada pela classe burguesa segundo um modelo capitalista e aí a liberdade de implantação da escravatura (vide os campos de algodão dos estados sulistas norte-americanos e os engenhos de açúcar brasileiros), como modelo altamente rentável. A Igreja, bem subornada pela classe dominante, a tudo dá a sua bênção e cobertura.

O capitalismo é um modelo obsoleto, insuportável para o desenvolvimento natural da humanidade enquanto organismo cultural eticamente superior.

Ou a humanidade asfixia o capitalismo ou é asfixiada por ele!

5 comentários:

Serginho Tavares disse...

Do jeito que vai é bem provável que a humanidade seja asfixiada pelo capitalismo mesmo.
Ou talvez já esteja e não percebeu!

Beijos meu amor

Lobo Cinzento disse...

Há quem diga que o socialismo seria a ordem natural de evolução natural dos sistemas, seguido do comunismo, e então a anarquia.

Mas ainda tem que acontecer uma catástrofe muito grande para que o modelo que faz da vida de tanta gente um luxo seja quebrado...

Abraços!

Clarice disse...

A humanidade está em perigo de extinção desde que o primeiro homem das cavernas arremeteu uma pedra contra seu companheiro. Mas resiste. Mesmo sendo a base de tudo o vil metal, parece que somos destinados a uma plateia que resiste a se render à serenidade antes de pegar em armas.
O poder faz a festa e dança sobre os cadáveres.
Meu caro, estou me esforçando para me manter à tona, então me perdoe pela miudeza das idéias, sim?
Abração e outra vez obrigada pela solidariedade.

São disse...

Não sei como, mas o poder económico parece ser indewstrutível.
Fico contente com teu regresso.

Um abraço muito de saudade.

Mari disse...

É Mandrag, e o capitalismo desde então vem progredindo e se renovando, e ganhando mais força...Outro sistema à vista? Só em teoria, mas duvido q seja uma realidade próxima.