quinta-feira, 8 de julho de 2010

O GUERREIRO

Que faz um guerreiro africano tradicional empunhando uma metralhadora?

Anacrónico. Um homem nu, com pinturas corporais e adornos tribais, como saído dum compêndio da História de África, exibindo, com um largo sorriso estampado no rosto orgulhoso, a sua metralhadora, como se fosse a melhor das azagaias de entre as de todos os guerreiros da tribo.

Múltiplas poderão ser as leituras e ilações que se façam a partir desta imagem. O contraste da imagem romântica do bom selvagem, na sua nudez, com um dos símbolos do desenvolvimento da assassina tecnologia de guerra, é no mínimo chocante.

Poderia até ser caricato. Mas a assimetria de simbologias é tão chocante que exclui qualquer sentimento anedótico.

Pessoalmente o que a imagem me inspira é mágoa. E a vós?

4 comentários:

São disse...

Contradições, amigo, e bem trágicas!!

Bom final de semana.

Serginho Tavares disse...

Uma imagem triste! Imensamente triste!

Mari disse...

É triste e espantoso. As tribos africanas, como as tribos indígenas do Brasil, tem sede de autonomia, mas a "ajuda" que recebem, não é necessariamente para eles mesmos.

Hürrem disse...

Mandrag, concordo com a Mari, a imagem me faz sentir que a ignorância faz muitas vitimas...