quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

O BELO MONSTRO

Mais um caso!

Esta corja empresarial, acoitada pela canalha política, não desiste nunca. Um atentado ambiental no coração da Amazónia em forma de barragem e sempre as mesmas patranhas de que hidroeléctricas produzem energia limpa, pois não emitem gases de queima de combustíveis. Não poluem o ar, mas destroem criminosamente habitats naturais valiosíssimos!

Faço aqui transcrição de partes do texto da Beth, que poderão apreciar na integra no Mãe Gaia:

Então é isso minha gente, estamos a um passo de um dos maiores crimes ambientais que poderá existir neste planeta e será de longe a obra com mais graves impactos ambientais da história do Brasil. Um Procurador da Justiça aponta que '273 espécies de peixes estão ameaçadas com o “secamento” da volta grande do Xingu. Além disso, a água do rio, em Altamira, pode apodrecer, sem contar com a possibilidade concreta de haver remoção de povos indígenas, o que o governo não admite, porque se ocorrer, significa genocídio'.

Enquanto isso o consórcio dessas grandes empresas construtoras, ávidos pelo abocanhamento de tanto dinheiro envolvido, já colocou mais de 8000 homens naquela região de Altamira, preparados como um exército de demolição, para começarem um trabalho que jogará a sustentabilidade no lixo, literalmente.”

Todo o processo de licenciamento é, como sempre, duvidoso e com contornos de corrupção.

"A licença dada a Belo Monte é muito esquisita, porque não existe no direito ambiental. Há três tipos de licença para um empreendimento assim: a prévia, que é um sinal importante para os investidores, quando já se começa em pensar em financiamento e detalhar o projeto. Depois, vem a licença de instalação: só com ela se pode colocar o canteiro de obras, derrubar a mata e começar as obras. Depois, a de operação.

Quando a licença prévia foi dada, os técnicos do IBAMA achavam que não estava bem avaliado o risco ambiental. Aí, pediram tempo. Mas o governo passado não deu. Exonerou gente, passando por cima das observações dos profissionais. Aí, foi dada a licença com 40 condicionantes. Como não foram cumpridos, não poderia ser concedida a licença de instalação.

Mas agora, um presidente interino do IBAMA dá uma licença parcial para a supressão da vegetação. Isso significa que eles vão desmatar 240 hectares e depois será fato consumado.

Ontem, conversando com o MP, fiquei sabendo que o BNDES, que vai financiar, deu um empréstimo antecipado de um R$ 1 bi. Mas aí perguntaram em que condições se daria isso: o banco respondeu que estava dando com o compromisso de que não seria feita nenhuma mudança no sítio antes da licença para toda a obra.

Economistas dizem que esse projeto representa um risco fiscal enorme, e os engenheiros, que os riscos nessa área não foram bem avaliados. Por isso, acho que precisa ser mais estudado. O governo, no entanto, fala que está sendo discutido há mais de 20 anos. Mas o governo Lula decidiu fazer a ferro e fogo, e o de Dilma está indo para o mesmo caminho.

Se as pessoas dizem que há problema, é preciso avaliá-lo, convencer a sociedade, não pode ser no grito. " in Blog da Miriam Leitão

"Pelas informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Camargo Correia e Andrade Gutierrez, que vão construir a hidrelétrica sem correr nenhum risco porque se retiraram do leilão, doaram juntas mais de R$ 120 milhões para várias candidaturas. As empreiteiras participaram com 27% da receita da campanha da presidente Dilma Rousseff.

Se a sociedade e a Justiça brasileira permitirem a construção da usina, afirma o procurador, esse momento será lembrado no futuro como aquele em que o Brasil “jogou no lixo” a chance de construir o desenvolvimento sustentável na Amazônia.” in Diário do Pará

Juntem-se ao repúdio contra mais um infame atentado, assinando a petição aqui.

9 comentários:

Serginho Tavares disse...

O Brasil não é um pais sério! Coisas assim só me fazem ter vergonha de ser brasileiro.
O último a sair, apague a luz e feche bem a porta.

Beth/Lilás disse...

Valeu, amigo!
Temos que mostrar nossa indignação a tudo isso e os Blogs são nossas armas.
Avante, contra a destruição de nosso planetinha!
bjs cariocas

Junnior disse...

Olá Paulo. Obrigado pela sua gentilieza.
Esta petição eu já assinei. Sou fã do trabalho do Avaaz.org.
Beijos.

Paulo Braccini disse...

Perfect ...

Assinei ...

;-)

Junnior disse...

Olá ManDrag. Não sei o porquê de chamá-lo de Paulo. Desculpa!!
Terá sido uma associação ao Paulo Braccini? (rsrs)
Beijo querido e bom final de semana.

Clarice disse...

Não acho que seja caso de vergonha, mas de tomar uma atitude. Assinar a petição, o que eu já fiz há meses pode alterar alguma coisa. Todavia, não acredito muito porque os interesses são monstruosos.
Um olhar sobre a China talvez ajude a chorar menos. Ou sobre o Sudão, quem sabe? Haiti?
Abraço.

Lobo disse...

Pois é. Os biólogos que trabalham com avaliação de impactos de grandes empresas são obrigados a abrandar os laudos se não quiserem perder seus empregos. Aí dá nisso ai...

Lobo disse...

Ah, e na minha viagem, visitamos os portos de Salvador, Ilhéus, e Maceió, partindo do Rio de Janeiro XD

Astrid Annabelle disse...

Temos que dizer não mesmo ManDrag!
Eu fiz o link ao post da Beth do Mãe Gaia.
Adorei sua visita e dei uma resposta especial nos comentários do post sobre o 111.
Se tiver vontade de ler....
Um beijo agradecido.
Astrid Annabelle