quinta-feira, 25 de novembro de 2010

QUEM SOU EU?

Quem sou eu? Sou macho? Sou fêmea? Ou algo in-between?

Serei a vontade, o desejo ou a ânsia de ser? A fera ou o anjo?

Ou dia, ou a noite? A razão ou o instinto? As raízes da Terra se erguendo em astúcia e engenho. O sonho de construir o ser na ambição de se superar até ao que é altíssimo.

Eu sou o solo, a vida, o engenho... o instinto sobrevivendo tenaz, pela temperança indómita de não querer dominar mais que a minha expressão sem limites. A criança escondida nos gestos amadurecidos pelo tempo, que a experiência modela em inocência. A forma adoptada dum paradigma sem nexo de tão abusado. Depravadamente depravado.

Sou a verdade nua do mito sem mistério. O ultraje da natureza sem grades. O sermão orgânico dum ritual despropositado. Ave aprisionada fora da gaiola. Mártir de mim mesma, sem motivos para redenção. O caçador e a presa, na dança sedutora da morte de quem se liberta na identidade canalha dos sem nome.

Masculino útero corrompendo as normas da existência. F’rida que kalo na angústia de nunca ter espiado os males do mundo que nem se moveu, atónito (ou apático?) perante a urgência da minha demora.


Nota: Este texto é a minha participação para o desafio de blogagem colectiva “Minha Ideia é meu Pincel” lançado pela amiga Glorinha L de Lion do Café com Bolo, inspirado no quadro “Auto Retrato” de Frida Kahlo.

17 comentários:

Suziley disse...

Texto pungentemente poético, Mandrag. Bela participação. Um bom dia, beijos no coração :)

pensandoemfamilia disse...

Quanta poesia e profundida na forma como se colocou nesta tela.
parabéns.
bjs

Glorinha L de Lion disse...

Simplesmente profundo e magnificamente sensível, meu amigo Man Drag! Estupendo poema, tocou-me demais! Um dos melhores que já tenha lido de sua autoria. Parabéns pela extrema sensibilidade! beijos,

Beth/Lilás disse...

Bom Dia, ManDrag!
Seu texto é mesmo bastante rico e denso, tal qual a vida desta pintora insólita.
Gostei muito.
um abraço carioca

Paulo Braccini disse...

OMG ... beleza ímpar ... esta idéia é literalmente um pincel ...

bjux

;-)

Lu Souza Brito disse...

Para mim também ela tem esta sintonia. Homem / mulher, ser em descobrimento.
Como sempre, muito bom seu post.

António Rosa disse...

ManDrag,

Amei.

«Sou a verdade nua do mito sem mistério.»

Abraço

António

Socorro Melo disse...

Olá, Mandrag!

"Ave aprisionada fora da gaiola"

Gostei demais do seu poema, é emocionante, e retrata bem a personalidade misteriosa de Frida, tão sofrida, tão polêmica, mas, tão guerreira.

Parabéns!
Socorro Melo

Serginho Tavares disse...

Nossa! Que forte isto meu amor! Conseguiste transpor em palaveas não apenas o, mas toda a dor, todo o amor e toda força de Frida!

Soberbo

Amo te

Siala disse...

ManDrag..."sou a verdade nua do mito sem mistério" para mim a melhor frase que até agora li sobre esta mulher!
Frida é uma das Mulheres da minha vida! Marcou-me muito a primeira vez que entrei em contacto com a sua arte! Mais que a Dor, ela para mim é a força e a coragem de superar as grandes contrariedades, sem falsos lirismos, enfrentado, expondo e desconstruindo a sua própria escuridão, a sua dualidade...no fundo a sua essência, não lindinha e perfeitinha...mas cruamente real!
Namasté

Clarice disse...

Conseguiste transformar a figura em beleza, que, por Zeus!, não há o que me faça gostar dela.
Tens o dom. Cada vez mais explícito por aqui.
Abraço.

Macá disse...

ManDrag
Que lindo poema você conseguiu fazer para a vida de uma pessoa tão sofrida, tão densa.
Parabéns
abs

Susana Vitorino disse...

Man Drag, cidadão do mundo, obrigada*

Adorei a partilha*

O António e eu hoje estamos em sintonia medonha! A frase que escolha é exactamente a mesma! :)

Abraço

São disse...

Magnífico texto, mais um!

Para quem tem a honra, o privilégio e o gosto de ser tua irmã-de-coração e alma e amizade há décadas não surpreende a magnificência da tua escrita...só que alegre muitissimo constatar que , apesar de tudo, não perdeste o esplendor.

Um orgulhoso , saudoso e fraterno abraço.

LILIANE disse...

Prazer enorme conhecê-lo.
Seu texto é forte, profundo.
"a criança escondida nos gestos amadurecidos pelo tempo."
como esta frase me impressionou, mexeu dentro da minha alma.
Me faz querer refletir.
Parabéns pelo riquísimo texto.
Parabéns pelo blog.
abraços

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Lindo seu texto, a perfeita tradução desta forte imagem de Kahlo e a sua.
Gostei muito!

Hürrem disse...

Amigo ManDrag,
Realmente esse teu texto é maravilhoso,assim como os outros da tua participação nessa blogagem coletiva..ainda não posso dizer qual é o meu favorito, mas todos tem uma profundidade inigualaveis, como tudo o que vc escreve. Sinceramente, acho que os teus textos serão os vencedores dessa blogagem, sem querer rasgar ceda para o teu lado :):) Parabéns!! Abraços com amizade