domingo, 26 de setembro de 2010

CULTURA ESTUDANTIL

Se não fosse preocupante até daria para rir, mas a verdade é que são excertos de respostas de alunos concorrendo numa prova de acesso ao ensino universitário.

Recebi uma lista da parte do meu amigo Francisco Lucas e resolvi seleccionar algumas pérolas e comentá-las:

“O nosso am biente ele estava muito estragado e muito poluido por causa que, os outros não zelam pelo ar puro.”

Tal como esta criatura não zela pelo bom funcionamento do seu Tico e do seu Teco. Dá pena já não podermos conhecer o “am” “biente” antes dele ter sido estragado.

“O serumano no mesmo tempo que constrói também destrói, pois nos temos que nos unir para realizarmos parcerias.”

Pensamento assaz profundo! É de tirar o fôlego a qualquer um, uma tarefa de tal envergadura. Um arraso completo, em toda a magnitude! “Nos”, o “serumano”, deve ser uma espécie muito perigosa e seriamente indecisa: constrói, destrói, constrói, destrói....

“Vamos mostrar que somos semelhantemente iguais.' e '...agir de maneira inesperável.”

Vamos a isso pessoal! Não custa nada! É só pegar na cabeça dessa anta e enfiá-la na fossa, para ela perceber logo o que é “semelhantemente igual”. Agindo assim de “maneira inesperável” ela atinge a iluminação e entra no paraíso. Ámen!

“Hoje endia a natureza...''No paíz enque vivemos, os problemas cerrevelam...”

E eu “endesmaiei” de “enpasmo” com “entamanha” “cerrevelação”!

“...menos desmatamentos, mais florestas aborizadas.”

Oh, sim! Por favor! Arborizem as florestas para ver se esta criatura tem um pouco mais de ar puro para oxigenar aquele cérebro atrofiado.

“O que é de interesse de todos nem sempre interessa a ningém individualmente.”

AH! Senhor! Fez-se luz finalmente!!! Abri as Portas do Céu para que estes mentecaptos nos deixem de vez!

“A natureza foi descoberta pelos homens há 500 anos atrás. “A natureza brasileira só tem 500 anos e já está quase se acabando.”

O verdadeiro exemplo de natureza de consumo rápido. Tipo fast food! E assim vai ascendendo a cultura fast asno.

“Não preserve apenas o meio ambiente e sim todo ele.”

Arrasou!!! Nem mais! Assim é que é falar!

Será esta criatura um exemplo de meia inteligência? Decerto dará um exemplar líder politico.

“Nos dias atuais a educação está muito precoce.”

Oh, sim! E a falta da mesma é um caso crónico!

“O maior problema da floresta Amazonas é o desmatamento dos peixes.”

E é! Por lá peixes é mato!

“Existem dois tipos de animais: os que vivem em cativeiro e os que não vivem. Ultimamente, surgiram um terceiro tipo que corresponde aqueles os que são presos pela polícia federal.”

E agora está surgindo um quarto tipo de animal: a besta que se julga inteligente e culta só porque se passeia por um estabelecimento de ensino sem prestar atenção em nada.

“Precisa-se começar uma reciclagem mental dos humanos, fazer uma verdadeira lavagem celebral em relação ao desmatamento, poluição e depredação de si próprio.”

Sim!!! Façam já uma reciclagem mental a estas antas ou então elas que se depredem a sim próprias até à extinção, para bem de todos!

“Vamos deixar de sermos egoístas e pensarmos um pouco mais em nós.”

Falou a voz da experiência!

“O sero manu.”

Fiquei sem palavras! Esta arrumou comigo! E eu que me julgava um criativo...

“Pessoas da floresta Amazônica destróem a Mata Atlântica.”

Deve ser este um caso de “destróenção” migratória. Só não se “destróem” a eles próprios e a estas cabeças de ameba.

“O seringueiro tira borracha das árvores, mas não nunca derubam as seringas.”

O verdadeiro paradoxo!

Eu sei onde usaria as seringas! Oh se sei!...

“Já está muito de difícil de achar os pandas na Amazônia.”

Acredito que sim. E “de achar” mentes inteligentes ainda parece mais “de difícil”.

“Enquanto os zoutros ...' ' tudo baixo nive...”

Exacto! Agora falou verdade! Só os “zoutros”, porque isto deve ser já a entrada em vigor do novo acordo ortográfico, para ficar tudo ao mesmo “nive”: o mais baixo!

'É um problema de muita gravidez.'

Concordo perfeitamente! Por causa de tanta gravidez é que nascem tantos burros. O chamado crescimento proporcional.

10 comentários:

Serginho Tavares disse...

Huahuahuahuahua
É triste saber que isso acontece de verdade mas não tem como não rir com tantas "pérolas"!
E adorei seus comentários!

Beijos

Guará Matos disse...

Viva!
É assim mesmo.
Isso é a educação praticada para não funcionar.
Ao final. só "pobrema". Ou seria "poblema"? Chame os universitários por favor, estou num "dificulidade" danada para "indender".

_____
Porém, enquanto eu tento, vou dar um pulo outra vez ao BLABLABLA NO TELECOTECO e atender meus clentes e amigos. Ah, estamos esperando você para interagir conosco.

orlando disse...

Deste-lhe com força, pontaria lucidez (embora cretino não mereça!)... Parabéns, amigo!

António Rosa disse...

os sentimentos oscilam entre o sorrir e o sério do assunto. abraço, mandrag.

Mari disse...

Eu ri de algumas zombarias feitas pelo autor sacástico,mas na verdade o plano de fundo é triste.

Percebemos esboço de idéias misturadas e falta de coerência. Isso demonstra pouca leitura e pouca capacidade de raciocínio.

E é essa a realidade da grande parte da população brasileira.

E são esses muitos dos nossos jovens.

Meu Deus :(

Jorge Oyafuso disse...

Esse é o típico de post dualista: não sei se dou risada, ou se choro.

Sempre tem como ficar pior. Estive notando isso na popularização do funk (brasileiro) e na inevitável candidatura do Tiririca.

São disse...

A coltura e as instrussão andem por lindocaminho, cem duveda.

Quelle tristesse!!!

Bejicas.

Clarice disse...

Meu comentário "assumiu".
Gostei das gracinhas que fizeste com as definições.
Todo ano aparecem novas listas. Vou ver se ainda tenho algumas, masi um link sobre essa linguagem de internautas, que só ajuda a destruir os cérebros.
Abraços e boa semana.

Beth/Lilás disse...

Ai, ai, como dói!
E é por isso que temos aí um Tiririca se candidatando e gente à beça votando nele.
Tristeza! tsc tsc

abraço carioca

Marisol disse...

Ri até perder o fôlego, mas ri numa miscelânea de bom-humor e de angustia pois é esta escola que nos forma, sem exigência nem excelência.
A leitura passou a fazer-se no computador e por vezes nem isso se faz ! O "copiar -colar" está na moda.
Abraço