sexta-feira, 3 de setembro de 2010

O PORTEIRO NÃO

Esta é uma recolha de excertos de comentários de leitores anónimos duma notícia sobre o resultado dum inquérito que ilibou o porteiro da escola onde decorreu o trágico caso que relatei no meu post “12 anos” (06 de Março 2010). Depois de toda a hierarquia superior ter sido eximida de culpa, a sede de sangue recaiu sobre o mais fraco; o porteiro da escola (como sempre os subalternos espiando as culpas das elites).

Para contextualizar quem não tomou conhecimento do caso; um menino de 12 anos, vítima de bullying continuado por parte dos colegas de escola, foge da mesma e atira-se ao rio, onde se afogou.

“Um menino que se perde, um jovem cidadão, é uma perda irreparável; um menino que se suicida por excesso de stress, por não aguentar mais a tortura permanente em que vive, é uma denúncia sinistra "disto" onde vivemos, é uma bofetada imensa na cara de todos nós, que deixamos e abandonamos à sua sorte o melhor que temos!”

“O porteiro, os professores, o director da escola , o presidente da câmara, o ministério e a ministra, (nem falemos da justiça ) foram o que é habitual: uns pulhas ordinários, uns apparatchiks do regime, todos especialistas em varrer para baixo do tapete e camuflar e baralhar as pistas! Quanto mais fraco é um regime, mais tirânica é a sua burocracia!”

“Não conhecia o jovem em questão, nem acho que se deva transformar as escolas em prisões com guardas, arame farpado e cães para conservar lá dentro aqueles a quem a FAMÍLIA e os poderes instituídos não motivaram para o privilégio que é frequentar a escola e aprender.”

“Porque é que temos que ter alunos e professores atrás de portões fechados a sete chaves? Será que os pais não sabem dar educação aos filhos de modo a fazer ver que a escola é para se estar lá? Os miúdos têm e devem ser educados e, queiram ou não é em casa que este trabalho tem de ser feito. A escola serve para transmitir conhecimentos.”

Nao se pode pôr atrás de cada aluno um adulto. Há regras e a educação deve começar em casa.”

Quanto ao alegado bullying, se acontecia de facto, então há culpados, os paizinhos dos agressores que não sabem educar melhor os filhos, os professores que suspeitavam (no mínimo) e nada fizeram e a direcção da escola, que tem a obrigação de assegurar a segurança dos alunos que os pais pagam para manter na escola.”

4 comentários:

São disse...

Subscrevo inteiramente : é sempre o mais indefeso a carregar a cruz dos pecados de outrém!
O mesmo se passou com a Ponte de Entre-os-Rios, com a morte do adolescente filho do fanático casal da Opus DEi,...

Um abraço, Amigo.

Mari disse...

Que tristeza. A criança precisa ser acolhida por todos, pela família e pelas instituições.

Coisa feia e irresponsável essa de passar a batata quente para as mãos dos outros.

Se foi uma vida inocente, ingenua e carente...Lamentável!

São disse...

Te enviei e-mail, mas nãs sei se chegou: o computador se desatinou a mei da escrita. Diz algo, sim?
Abraços, lindo.

Serginho Tavares disse...

O que eu acho triste nestes casos de bullying é a total negligência dos professores. Não é possível que ninguém nunca tenha percebido nada!