sexta-feira, 6 de agosto de 2010

IPANEMA



O texto: foi escrito no Rio de Janeiro aquando da minha estadia em terras cariocas em 2008 e havia sido publicado anteriormente aqui.

A foto: como diria a amiga Clarice, a foto veio daqui. É um postal ilustrado feito a partir duma imagem antiga onde se pode perceber um pouco do que eu já havia falado anteriormente; idealizar como teria sido a paisagem antes da edificação das nossas cidades actuais.

A dedicatória: à Mari e a todos os meus amigos cariocas, de quem tenho muitas saudades.

Sexta-feira, 14 de março de 2008

Há sempre dois lados; duas faces; dois mundos.

Ontem andei passeando-me por Ipanema e Copacabana. O outro mundo do Rio de Janeiro; o Rio de Janeiro com que todos sonhamos. Um mundo muito distante do Rio de Janeiro dos bairros da periferia e das favelas. Um mundo idílico de bem viver e desfrutar dos prazeres da cidadania, numa urbe moderna e que reluz como jóia entre as mais favorecidas do planeta.

Ipanema; um bairro onde harmoniosamente ladeiam o comércio, os serviços e os condomínios de habitação. Por aqui e por ali um hotel, que em nada se destaca dos condomínios de classe alta que o ladeiam. Ao fim da tarde uma tranquila agitação daqueles que regressam ao conforto dos seus lares, cruzando-se com o sexagenário que sai de bermudas, para passear o seu poodle, aproveitando a leve brisa marítima que chega da marginal ali ao lado. Na esplanada do boteque “A Espelunca”, agrupam-se amigos, ainda de camisa e gravata, num convívio coroado pelos copos de cerveja gelada. Embora com o nome sui generis, que achei divertidíssimo, de espelunca é que o bar não tem nada; pelo contrário o bom gosto da decoração exótica e bem tropical, testemunhava o requinte de quem quer servir para agradar. As ruas arborizadas e de passeios largos, profusamente ajardinados, são um convite a um passeio tranquilo e reparador, ao fim dum dia de trabalho. Um bairro saído da lâmpada de Aladino.

É este Brasil que eu quero. É este Brasil que os brasileiros merecem. É este Brasil que todos os brasileiros deveriam construir.

Mas enquanto deambulava pela lânguida Ipanema apenas uma palavra me vinha à mente: Educação.

4 comentários:

Serginho Tavares disse...

Eu também quero este brasil mas infelizmente os brasileiros que aqui vivem não o merecem porque não fazem por merecer!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Sabe... seus posts (e comentários no meu blog) me passam sempre uma sensação de segurança. Aquela sensação de quem sabe o que diz, o que sente, que pelo menos reflete sobre o que diz e não solta palavras apenas por falar...

Esse seu ponto de vista reflete o que eu sinto e penso. Não adianta a beleza estar estampada pela natureza. O ser vivente também tem que acompanhar o nível do que a natureza propicia. Ou fechar em um nicho pequeno um canto bom de estar, viver, usufruir. E o resto fugindo de balas e problemas.

Aprender a viver com harmonia, ordem, respeito e como vc citou: a educação como fator primordial.

Perfeito seu post.
Boa sexta, meu amigo

São disse...

Esse Brasil terá que chegar...e chegará, já esteve bem mais longe!

Um abraço, Amigo.

Mari disse...

Querido amigo, que honra ser homenageada por ti!!!

Dei uma olhadinha no seu antigo blog e gostei mt dos seus escritos. Voltarei lá :)

Ipanema e Copacabana são lindas. Mas não fica tão bonito sabendo que enquanto os privilegiados disfrutam das praias cariocas, ali pertinho vemos nos morros as favelas, os contrastes...

Espero que a hora do Brasil chegue sim. Inshallah!